• Spotify ícone social
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • Dennis Souza

CRITICA – Venom: Tempo de Carnificina – O RETORNO DO SIMBIONTE aos CINEMAS

Adiamento de Venom: Tempo de Carnificina pode mudar todo o calendário da  Marvel?

Venom: Tempo de Carnificina chega aos cinemas e é inevitável não compara-lo com o primeiro filme da franquia. Embora essa seja uma continuação direta e não ignore o primeiro filme em momento algum, ele te uma coisa em comum com O ESQUADRÃO SUICIDA: A troca de direção e sua busca por autonomia.

A direção precisa de Andy Serkis conduz o filme de forma muito ágil e dinâmica (o filme tem apenas 90 minutos) e vejo isso como um acerto, pois ele não procura reinventar o personagem, tampouco cria uma trama mirabolante. Ele simplesmente se apropria do roteiro simples e o conduz conscientemente, utilizando muito bem os efeitos práticos e especiais (seu ponto forte), pois em comparação ao primeiro filme – onde as lutas entre os simbiontes se confundiam em tela – em VENOM 2 é possível acompanhar e entender tudo o que acontece na tela.

Venom: Tempo de Carnificina' terá classificação +13 - Olhar Digital

As interpretações de Tom Hardy e Woody Harrison estão na medida e ambos entregam performances interessantes e dignas das personagens. Carnificina é um vilão muito mais interessante do que o vilão do filme anterior e eu sinceramente não acharia ruim se esse fosse o primeiro, pois é quase um repeteco do anterior (simbiontes lutando entre si), mas com mais acertos do que seu antecessor. Não há nada de novo em Venom 2 e embora não tenha muito tempo para desenvolvimento das personagens, o filme entrega uma divertida jornada com muita ação e uma relação divertida entre Eddy Brock e Venom. O ponto fraco ao meu ver é o fato de que o filme é muito “Higienizado”. Faltam elementos de Horror e acredito que seria muito interessante se os produtores assumissem a classificação indicativa (18 anos) e dessem ao diretor AUTONOMIA para fazer um filme da altura do personagem, com muito sangue e vísceras – seguindo os exemplos de Deadpool e O Esquadrão suicida – mas parece que ainda não chegou a vez de Venom. Entendo as escolhas dos produtores pois bem ou mal, ainda é um filme de herói (deveria ser vilão, mas estão fazendo ele virar um anti-heroi) da MARVEL e existe a possibilidade de integração no universo do Aranha.


Existe uma única cena pós créditos, mas muito importante para o futuro da personagem e os caminhos da Sony/Marvel no cinema.

Venom é um filme divertido e simpático. Sem grandes feitos pode facilmente cair no esquecimento, mas não chega a ser um filme decepcionante.

Texto por Bruno Sangregório

2 visualizações0 comentário
Design sem nome (63).png
  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon