top of page
  • Spotify ícone social
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • Foto do escritorDennis Souza

Análise | Sonic: O Filme

TODO HERÓI TEM UMA ORIGEM Após Nascer com grandes poderes, Sonic se vê encurralado. Para a sua própria proteção ele é forçado a fugir da seu próprio mundo, saindo da ilha por um portal e chegando na Terra para viver escondido.

Sua hiperatividade e seus poderes desconhecidos chamam a atenção do Governo, e Robotnik é acionado pra cuidar do caso, mas o vilão quer capturar esse ouriço para interesses próprios e maléficos.

Sonic se une à TOM pedindo ajuda para escapar desse grande jogo de gato e rato que se torna um embate entre herói e vilão.


SIMPLES E DIVERTIDO Esse filme é uma história de Origem para o Sonic e também para o Robotnik, e tem seu arco próprio. A narrativa é simples e o filme é leve. Ele é fiel aos elementos os games ao mesmo tempo que expande o leque para cativar um público brando que talvez não jogue ou não conheça o Ouriço.

Sonic: O Filme vai sempre direto ao ponto pra narrativa continuar andando. A maioria dos diálogos é rasa, servindo apenas para suprir a necessidade de justificar algum ponto, desatar algum nó, e dar segmento a história. Por se tratar de um filme praticamente livre, a garotada não vai se preocupar ou notar a simplicidade do roteiro enquanto marmanjos talvez precisem fazer uma forcinha para acreditar que adultos agem e falam da maneira apresentada no filme.

O início do filme apresenta um passado triste e empático para o Sonic. Como ele precisa viver escondido, evita interações até na Terra. Afinal, qualquer um surtaria ao ver um ouriço alien com supervelocidade. Essa solidão o consome até que após alguns eventos, Sonic não vê outra escolha a não ser revelar-se para o Tom, a quem sempre observou escondido. A partir daí, os laços entre Sonic e Tom podem não parecer convincentes no início. Um policial crescido e treinado agindo da forma que age no filme é no mínimo curioso. Mas novamente, lembrando que é um filme livre, após um pequeno período tudo passa a ser aceitável. Ambos vão cultivando uma certa amizade com base em pontos em comum. Ao passo que Tom quer sair da cidadezinha pacada de Green Hills a fim de realmente salvar vidas em serviço, Sonic quer cumprir uma lista de coisas antes de precisar fugir da terra, agora que estão novamente no seu encalço. E adivinha? Um dos elementos da lista é ter um amigo de verdade.

Conforme Robotnik os persegue e confronta, eles sempre arrumam um tempinho para ir cumprindo a lista do Sonic, enquanto tentam descobrir se é melhor o Sonic fugir novamente ou ficar aqui na Terra.


PIADAS NO TALO Isso tudo, junto com a simplicidade e inocência do filme abrem leque pra uma comicidade muito divertida. Sonic: O Filme bebe da fonte de qualquer filme que mistura desenho animado com vida real, a exemplo de Space Jam e até o recente detetive Pikachu. Onde tudo o que acontece ou se projeta dos personagens animados, mesmo no mundo real, vira piada. Eles parecem sempre estar fora do lugar, não agem de acordo com o universo onde estão.

O Filme se aproveita muito bem dessa “ficção em realidade” para disparar inúmeras piadas no filme todo. Umas geniais, outras propositalmente terríveis. Por exemplo, quando “Tom” tenta agir como o sonic pra mandar uma piada, até o Sonic diz que ela foi terrível. Essas piadas geralmente vem com menções à culturas e memes populares, como o endeusamento do Keanu Reeves. Lembrando também que algumas piadas as crianças também não vão entender.


CADÊ A MUSIQUINHA? Quanto à TRILHA, o filme perde a oportunidade de aproveitar os games para embalar a aventura. As composições originais se unem à hits populares quase 100% do tempo, para talvez dar um ar moderno ao filme e cativar quem não é gamer. Existe até um número musical dedicado ao Robotnik, ao som de “Evil Grows”, música sugerida pelo próprio Jim Carrey. Assim, apenas uma ou duas trilhas dos games, arranjadas de maneira tímida, se fazem presentes no filme.

Se por um lado a trilha não favorece os fãs do Sonic, por outro o filme está REPLETO de referências e easter eggs. Existem cenas e ambientes feitos só para deixar surpresinhas aos fãs dos games do Sonic. Coisas que só quem jogou vai sacar e achar irado, a exemplo de inúmeros elementos na própria caverna do Sonic, e seu amor por hot dogs A Paramount recompensa os fãs ao mesmo tempo que conhece a fanbase com a qual lida, fazendo piada até com os memes da mesma.


UM SHOW VISUAL A galera dos efeitos visuais fez milagres para a Paramount. Existem sequências no filme feitas apenas pra mostrar a riqueza do trabalho dessa galera, a exemplo da sequência do bar que é de encher os olhos.

O Retrabalho no design do Sonic é a cereja desse bolo. E esse bolo é feito só de cereja. Ele ficou muito bem no filme e nem dá pra perceber que a ideia inicial era outra.

A sensação de velocidade e esse efeito do ouriço realmente empolgam, ainda mais quando vemos a ação do ponto de vista do próprio ouriço, onde o tempo parece desacelerar e ele continua rápido.

Existem duas cenas em que a inserção do novo Sonic pareceu inacabada, com correções de iluminação a serem feitas. Talvez pelo prazo, não deu para deixar tudo nos trinques.

Mas dentre as cenas, o estranhamento causado em algumas é por conta do Sonic estar em um local nos Traileres, enquanto no filme a mesma animação acontece em outro local.

O filme também quase arrisca mostrar as mãos e pés descalços do Sonic, deixando o espectador curioso e agoniado. Sinceramente, não da pra saber se realmente era uma boa ideia ter mostrado.


PERSONAGENS: >Sonic Sendo uma história de origem, o Sonic DESSE filme é mais jovem e tem uma personalidade diferente dos games. Aqui ele ainda é extremamente ansioso, impulsivo e desconhece os poderes que possui, não controla nem sabe como usar. Também não entende o real perigo que corre, sendo sempre ingênuo e não medindo consequências. Ele usa os Anéis do jogo para criar portais que vão pra onde ele estiver pensando ao arremessá-los, parecido com os anéis que nos transportam para fases Bônus nos games.

>Tom Quer ser um grande Policial mas tudo o que faz em Green Hills é ajudar animaizinhos, tamanha tranquilidade do lugar. Apesar da sua ambição de querer salvar uma vida, e ver essa oportunidade na situação do Sonic, O roteiro dá ao Tom uma construção muito rasa, que o impede de protagonizar o filme ao lado do Sonic. Tom serve muito mais como uma escada, um condutor para o ouriço brilhar.

>Robotnik Parece um personagem animado tanto quanto o Sonic. Jim Carrey entrega uma caricatura digna ao personagem, que antagoniza o Ouriço no mesmo nível. Ele é um vilão gênio, que inferioriza a humanidade depois de ter crescido sozinho e passado por traumas, como bullying. Sempre querendo provar superioridade a si mesmo.

>Demais Outros poucos personagens do filme tem participação ínfima, com pouca profundidade e servem ao papel de tocar a narrativa e amarrar situações.


Por fim, Sonic: O Filme é uma obra divertida feita para alcançar o maior público possível, de todas as idades, não se limitando aos gamers. Aposta na filosofia do ‘Menos é Mais’, acertando e executando com maestria na simplicidade e leveza trazendo diversão garantida a qualquer um. Há ainda duas cenas pós-créditos de empolgar os fãs do Ouriço, além de deixar um belo de um ganho para uma sequência caso seja bem-sucedido.

Texto por Lucas Almeida


11 visualizações0 comentário
Design sem nome (63).png
  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon
bottom of page